Swatch apresenta coleção Skin Irony em Portugal, um clássico do futuro;

Nova coleção Swatch é resultado da união de dois bestsellers da marca de relojoaria suíça
Swatch apresenta coleção Skin Irony em Portugal, um clássico do futuro

Swatch Irony e Swatch Skin, dois ícones da mundialmente popular marca de relógios suíça, a Swatch, pertencente ao maior Grupo relojoeiro do mundo com o mesmo nome, juntaram-se numa única coleção, a Swatch Skin Irony.

A história é recente e o sucesso fulminante, como tal o Grupo Swatch não faz esperar os fãs da marca e junta desta forma duas linhas bestsellers, procurando responder à estética ambicionada por uns – com o aço e o tamanho maior da caixa, assim como um toque retro −, mas também o conforto e o lado acessório de moda que não poderia ser descurado entre aqueles apreciadores do Skin. 

Há já cinco anos que na Feira de Basileia (Suíça), “Meca” da relojoaria mundial, surgiu a coleção Swatch Irony. Três anos depois, em 2016, surpreendia, surgindo totalmente “vestida” de aço, com o movimento 51, composto precisamente por 51 peças, e para deleite de quem adora os relógios marcadamente masculinos e o enquanto material predominante, tudo isto por um preço de cerca de 150 euros, e batizado de Swatch Sistem 51 Irony. Era apresentado como o relógio que representa o futuro da relojoaria, não tendo qualquer intervenção humana no fabrico do respetivo movimento.

Quanto à coleção Skin, ainda no início de 2017 era apresentada toda uma nova panóplia de modelos, em Portugal, e conquistava sobretudo os corações das mulheres, pela delicadeza do toque, sendo usada como uma segunda pele, trazendo leveza, liberdade e expressividade, posicionando-se sempre na vanguarda da moda.

Alguns meses depois surgiam as declinações da Skin e a Swatch apresentava nove novos relógios, precisamente no 9º mês do ano passado, em setembro, modelos disponíveis em dois tamanhos, para homem e senhora, mantendo a inovadora caixa Skin com injeção dupla, formando uma onda especial de dois tons, mas também com o aço inoxidável a marcar presença com três modelos – o Skinotte, em preto; o Skinchic, em cor de ouro rosa; o Skinmoka, em dourado, a que se juntam o Skinmesh, no prateado original. Entre os vários modelos, destaca-se um em particular que presta homenagem à primeira coleção Skin, lançada em 1997, dez anos antes, por se tratar de um “revival” do relógio Skinthrough e apresentar um cunho marcadamente retro.

Em 2018, o ADN de ambas as coleções surge concentrado na nova coleção Swatch Skin Irony. Oito novos modelos da marca, em aço meticulosamente escovado e polido, complementado por metais vintage, pele clássica e rugosa, bem como silicone macio, toda a herança de ambas as linhas utilizadas de forma generosa. Desde o Skinlingot (175€), o relógio totalmente dourado até ao mais descontraído modelo Skinbrushed (135€) em preto e castanho, marcadamente masculino, empregando cada nova peça de relojoaria o elemento ondulado de assinatura das novas coleções Skin.  A Swatch cria a primeira versão metálica da linha de relógios mais finos, com apenas 5.8mm de espessura, em que a estética clássica é concretizada com materiais contemporâneos.  “Com a nova coleção Skin Irony, procurámos criar uma nova referência de estilo”, afirma Carlo Giordanetti, diretor criativo da Swatch. “A coleção representa uma nova geração de linguagem de design discreta, minimalista, mas sofisticada”.  O hashtag diz tudo: “#FutureClassic”, assim como slogan “para hoje, amanhã e depois”.

 

 


Dora Troncão, 27/05/2018
Partilhar
Comentários 0

Notícias Relacionadas